Cuidados ao fazer pesquisas na Internet e compartilhar ou comentar notícias nas redes sociais

É preciso ter muito cuidado com as pesquisas feitas na Internet e com o compartilhamento de notícias. Apesar de ter se transformado em uma ferramenta cotidiana, as buscas, por exemplo, do Google podem esconder “armadilhas”. Outra verdadeira arapuca é compartilhar ou comentar tudo o que se vê nas redes sociais.

Carlos Bandeirense Mirandópolis, um personagem fictício criado em 2010 como parte de uma brincadeira de um escritório de advocacia, ganhou um perfil – falso – no Wikipédia, e, desde então, foi mencionado em trabalho de graduação, em documentário e até mesmo em decisão judicial. Mirandópolis era apresentado como jurista e professor catedrático da PUC-SP.

O falso jurista teria ainda lutado pela democracia e inspirado o seu amigo, Chico Buarque, na composição do “Samba de Orly”. Contudo, apenas seis anos mais tarde é que a gafe seria desfeita. Atualmente, o perfil não existe mais.

Mas, nem sempre as informações falsas fazem parte de uma “brincadeira”. Em 2014, uma mulher foi espancada e morta após um boato publicado em uma rede social de que estaria sequestrando crianças na região do Guarujá.

E, às vezes, o erro nem sequer é proposital. O perfil no Wikipédia do jurista – esse sim de verdade – Calmon de Passos parece conter um erro. Na pesquisa do Google, o baiano teria hoje 96 anos. No entanto, Calmon de Passos faleceu em 2008, aos 88 anos, como mostra um dos resultados da mesma pesquisa.

Internet "ressuscitou" Calmon de Passos
Internet “ressuscitou” Calmon de Passos

Diferentemente do engano mencionado, existem sítios eletrônicos criados especialmente para divulgar boatos. E existem, ainda, outros sítios criados também para esclarecê-los, como o Boatos.org.

Continue lendo “Cuidados ao fazer pesquisas na Internet e compartilhar ou comentar notícias nas redes sociais”