Ibovespa se aproxima dos 70 mil pontos: e se começar a cair agora?

Ontem, 21, o principal índice de ações da BM&FBOVESPA, o Índice Bovespa – Ibovespa, superou os 69 mil pontos. Desde 2 de abril de 2011, o índice permanecia abaixo dessa marca.

Queda do Ibovespa
Um dia tipicamente “sangrento” na Bolsa

Nos últimos 365 dias, o Ibovespa acumula um aumento de 59,71%, e não demonstrou ainda sintomas de arrefecimento. Somente em 2017, o índice já cresceu 14,65%.

Apesar do franco entusiasmo do mercado acionário, que aposta na perspectiva positiva do País, a reação econômica ainda não veio. E, muito provavelmente, também não poderá vir ao longo de 2017.

Portanto, a crise ainda persiste, indiferente à escalada do Ibovespa. Contudo, há, sim, divergência quanto ao início do restabelecimento econômico. Em entrevista publicada nesta semana, o professor João Sicsú afirmou que não há nenhum sinal de recuperação da economia. Diferentemente do professor, na mesma semana, o presidente do Banco Santander concluiu que o Brasil voltou a crescer.

Fato é que, independentemente de quem esteja certo, caso a expectativa de recuperação econômica não se concretize, ou na iminência de outro acontecimento relevante despontar, é natural que o rally do índice termine. Se o Ibovespa cair, o que planeja fazer? E, inversamente, se subir?

Continue lendo “Ibovespa se aproxima dos 70 mil pontos: e se começar a cair agora?”

Apesar de ser classificado como “fraco”, ações da Duratex sobem mais de 3% após divulgação do resultado

A Duratex divulgou o resultado do quarto trimestre de 2016 na última quarta-feira, 8, após o fechamento do mercado.

Resultado da Duratex

Entre os destaques positivos, a empresa anunciou receita líquida consolidada de R$ 1,028 bilhão. O valor representa um crescimento de 6,4% em relação ao trimestre anterior, e 7,7% em relação ao mesmo período de 2015. Já o EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado e recorrente, de R$ 217,1 milhões, subiu  16,8% em relação ao terceiro trimestre de 2015, e 17,1% em relação ao quarto trimestre de 2015.

Continue lendo “Apesar de ser classificado como “fraco”, ações da Duratex sobem mais de 3% após divulgação do resultado”

Cielo: resultado do quarto trimestre de 2016 e desafios regulatórios do setor de cartões de pagamento

Na próxima segunda-feira, 30, a Cielo divulgará o último resultado trimestral de 2016, após o fechamento do mercado.

Cielo e desafios regulatórios

O resultado será divulgado em um momento marcado por incertezas e grande turbulência regulatória para a empresa.

Continue lendo “Cielo: resultado do quarto trimestre de 2016 e desafios regulatórios do setor de cartões de pagamento”

A Petrobras pode pedir recuperação judicial em razão do seu endividamento?

A Serasa Experian informou que em 2016 o número de pedidos de recuperação judicial foi o maior desde 2006. A recuperação judicial adveio da Lei nº 11.101, de 9 de fevereiro de 2005, a Lei de Recuperação de Empresas – LRE, como um instrumento para viabilizar a superação da situação de crise econômico-financeira do empresário ou da sociedade empresária.

Recuperação judicialO recorde histórico vem em compasso com o segundo ano consecutivo de crise econômica no País. Em 2016, registrou-se 1.863 pedidos de recuperações judiciais, 44,8% a mais do que em 2015. Além da crise econômica que assola as empresas em geral, o setor de óleo e gás sofre ainda mais, sobretudo em razão dos efeitos da crise política, representada pela operação Lava Jato, e da queda da cotação do brent.

Continue lendo “A Petrobras pode pedir recuperação judicial em razão do seu endividamento?”

Fuja do “abacaxi” nos investimentos em ações: 10 lições de Aswath Damodaran

Fuja do "abacaxi" nos investimentos em ações
Fuja do “abacaxi” nos investimentos em ações

Já te ofereceram uma fórmula mágica para ficar rico da noite para o dia com ações? Um amigo ou parente te indicou a compra de uma empresa “barata” para obter ganhos miraculosos? Conhece uma vítima de golpe de investimentos em ações que perdeu todo o seu patrimônio?

Fuja do “abacaxi”. Em Mitos de Investimentos (Financial Times-Prentice Hall, 2006), Aswath Damodaran desconstrói as falácias que envolvem o cotidiano dos investidores no mercado de renda variável por meio do exame de algumas histórias de investimentos em ações.

Continue lendo “Fuja do “abacaxi” nos investimentos em ações: 10 lições de Aswath Damodaran”